segunda-feira, 21 de julho de 2014

[Resenha] Divergente



Título: Divergente
Autor: Veronica Roth
Páginas: 502
Editora: Rocco
Nota:
Sinopse: Numa Chicago futurista, a sociedade se divide em cinco facções – Abnegação, Amizade, Audácia, Franqueza e Erudição – e não pertencer a nenhuma facção é como ser invisível. Beatrice cresceu na Abnegação, mas o teste de aptidão por que passam todos os jovens aos 16 anos, numa grande cerimônia de iniciação que determina a que grupo querem se unir para passar o resto de suas vidas, revela que ela é, na verdade, uma divergente, não respondendo às simulações conforme o previsto.
A jovem deve então decidir entre ficar com sua família ou ser quem ela realmente é. E acaba fazendo uma escolha que surpreende a todos, inclusive a ela mesma, e que terá desdobramentos sobre sua vida, seu coração e até mesmo sobre a sociedade supostamente ideal em que vive.

~~~~~~~~~~~~~~

E vamos a mais uma distopia galera!
Em Divergente, conhecemos Beatrice Prior, uma garota de 16 anos que está prestes a passar pelo teste de aptidão. Esse teste, ajuda na escolha da sua facção. Temos 5 facções, abnegação, que é formada pelas pessoas que culpam o egoísmo pelos problemas do mundo, amizade que culpa a agressividade, a erudição que culpa a ignorância, a franqueza que culpa as mentiras e manipulações e a audácia que culpa a covardia.
Beatrice nasceu e cresceu na abnegação, mas nunca sentiu que se encaixava lá. Ao fazer o teste, ela descobriu que era divergente, essa descoberta virou sua vida de ponta cabeça. Os divergentes são um grupo especial de pessoas que não se encaixam em apenas uma facção. E isso é perigoso, mas ela não sabe ao certo porque.
Após o teste, temos a cerimonia de escolha, nesse evento vai ser efetivada a decisão, de permanecer com a família ou recomeçar a vida em uma nova facção, afinal facção antes do sangue, ou seja a partir do momento em que você muda de facção, você deixa de ser leal a família, e passa a ser leal a sua facção. Nesse evento nossa protagonista opta por deixar a família, afinal como eu já disse, ela não se encaixa naquela facção, e seguir na Audácia, tornando-se uma daqueles aventureiros doidos que ela sempre admirou.
Para ser efetivamente da facção, todos os iniciandos precisam passar pela iniciação, que se mostrara muito perigosa e rígida e ao final apenas os melhores poderão ficar, os outros iniciandos se tornarão sem-facções, um grupo de pessoas que vivem a margem da sociedade.
Galera, que livro é esse! Não sei vocês, mas eu amei o Quatro, aquele jeito durão e insensível nunca me convenceu rs eu sabia que ele teria um papel importante na trama, mas não tanto quanto foi.
A Verônica Roth criou tão bem os cenários que eu consegui me imaginar dentro da sede da Audácia, ah como eu queria conhecer aquele lugar! E os personagens, muito bem construídos, adorei a Tris, as vezes eu fiquei com vontade de puxar as orelhas dela, mas tudo bem rs me envolvi muito com a trama, a curiosidade é um sentimento que nos acompanha a cada linha desse livro.
Eu adorei a capa, ela me conquistou desde o primeiro momento k e a frase de efeito "uma escolha pode te transformar" casou perfeitamente com a trama. Erros de revisão não encontrei muitos, mas eles existem sim.
Estou terminando de ler o segundo, e em breve trarei as novidades! Para adiantar estou adorando, eu nunca poderia imaginar as aventuras da vez, mais uma vez a Tris mostrando sua garra e seu amor pelo Quatro (lindo ♥)
É uma leitura que eu recomendo e muito, se você gosta de ação com uma pitada de romance, esse é o livro pra você!

0 comentários:

Postar um comentário

Obrigada por comentar! Sua participação é muito importante para nós.

Navegue

Tecnologia do Blogger.

Receba as novidades

Seguidores

Translate

Google+

Releia

FanPage

Julliany está lendo:

VEP no Twitter