sábado, 23 de agosto de 2014

[Filme] "O Grande Gatsby"



O Grande Gatsby: Um longo, melancólico e veloz sonho de uma noite de verão

Muita gente se decepciona quando vai ao cinema assistir uma adaptação de um livro. Os motivos geralmente são os mesmos: mudanças desnecessárias no roteiro, excesso ou escassez de efeitos especiais ou cenas essenciais da narrativa cortadas ou atropeladas. Todos esses, entre muitos outros foram justificativas para criticas vorazes dirigidas contra a adaptação filmada em 2011 e dirigida por Baz Luhrmann  para o clássico de F. Scott Fitzgerald, escrito em 1925. 
Devo confessar que mesmo ciente que a trilha-sonora continha nomes de peso, a principio não me interessei muito em assistir ao filme, pois a arte promocional da obra soava-me um tanto piegas. 

Com o tempo porém, acabei cedendo a tentação de finalmente ver Leonardo DiCaprio e Tobey Maguire juntos em cena e me surpreendeu descobrir que existia muito mais que isso lá. Partindo de um bom roteiro, que de uma forma veloz foca no grande vazio que há em meio as multidões festeiras, o filme lembrou-me o último avaliado nesta coluna, "O Casamento de Rachel", só que acelerado, no mínimo, umas dez vezes.

A direção de Baz acerta no tom épico contemporâneo, porém exagera nos tons, literalmente falando. Acredito que os espectadores que assistiram em 3D experimentaram desconfortos visuais devido ao excesso de cores berrantes, que por outro lado, dão ao filme o autêntico ambiente de sonho. Não menos surreal que a narrativa é o elenco: Leonardo DiCaprio está absolutamente disciplinado em cada expressão, Carey Mulligan, calculadamente perdida como uma pequena Maryllin Monroe, enquanto Isla Fisher comove no papel de uma amante desiludida. 

Desiludido também fiquei com a apagada atuação de Maguire, embora seja verdade que o seu papel o ajuda em nada. No fim da película, a sensação é de acordar de um longo sonho, apenas com relances dele. Ainda assim, o proposto vazio inicial vai tomando forma, tornando-se cada vez maior e envolvendo inclusive quem preferiu não fazer consulta prévia ao livro.

AVALIAÇÃO: Muito bom.



RECOMENDAÇÃO: Preste atenção diversas vezes que a canção de Lana del Rey, "Young and Beautiful" toca no filme. Uma versão mais maravilhosa que a outra. Um absurdo não ter sido indicada ao Oscar nem ao Golden Globe!                                                                


  2 comentários:

  1. Gostei muito dessa versão do clássico, mas também sou suspeita porque gosto bastante dos filmes do Baz; como não podia deixar de ser, a fotografia deste está muito bonita. Gostei da trilha sonora, mas não foi aqueeeela coisa, sabe, apenas gostei (mas claro que Lana del Rey deu um toque lindo ao filme). Enfim, e achei sensacional a dupla Leo DiCaprio e Tobey Maguire. Gostei da Carey também, mas os homens realmente estiveram perfeitos, a meu ver.

    Beijooo, Livro Lab

    ResponderExcluir
  2. Que bomq ue vc gostou Aline, afinal esta obra-prima realmente divide opniões, rsrsrs

    ResponderExcluir

Obrigada por comentar! Sua participação é muito importante para nós.

Navegue

Tecnologia do Blogger.

Receba as novidades

Seguidores

Translate

Google+

Releia

FanPage

Julliany está lendo:

VEP no Twitter